PELO DIREITO DE PARIR COM DIGNIDADE - Por Bianca Puglia Lima

Bianca à espera de Téo

Bianca é minha Doulanda. Ela hoje está com 38 semanas de gestação, à espera do Téo. Seu plano original era ter seu bebê de parto natural, na Maternidade Brasília. Ela tinha planejado tudinho, juntamente com seu obstetra e sua Doula (Eu), para que seu bebê nascesse na suíte da maternidade, já que não haviam garantias de que a sala especial para Parto Humanizado já estaria aberta ao público quando chegasse o momento do Téo vir ao mundo. E agora, com a notícia da inauguração da sala de Parto Humanizado e a consequente proibição do parto no quarto na Maternidade Brasília, a Bianca está desesperada! Ela ontem foi à Maternidade Brasília para conversar com o diretor e ver o que se poderia fazer. Vejam a seguir o que ela escreveu no Facebook:

Sobre a Doula


O propósito da Doula é ajudar a mulher a ter uma experiência de parto o mais próxima possível daquilo que ela deseja.

A maioria das mulheres brasileiras deseja ter um parto normal (de acordo com esta pesquisa 70% desejam o parto normal, mas apenas 10% tem efetivamente um parto normal), e geralmente elas querem que este parto seja sem dor, ou com o minimo de dor possível, tenha a presença do marido e seja com o médico que acompanhou o pré-natal. 

Só que tanto a rede privada quanto a pública funcionam em esquemas de plantões, então se a gestante quer ter o mesmo médico do pré-natal para acompanhá-la no trabalho de parto todo, ela tem que contratá-lo de maneira particular... E a gente percebe, pelas estatísticas de cesarianas dos hospitais (mais de 90% na rede privada, mais de 40% na rede pública), que os plantonistas estão tendo clara preferência pela cesária. Então, uma das primeiras coisas que a Doula faz é explicar para as gestantes como é essa realidade e alertá-las para que não se deixem enganar por profissionais que dizem que acompanham parto normal mas na realidade acabam fazendo cesárias em 90% de suas pacientes. A Doula, por trabalhar nesse meio, muitas vezes conhece profissionais que têm uma maneira mais humanizada de trabalhar e é geralmente com a doula que o casal consegue indicações.

Matéria no Jornal METRO: Por Mais Gestantes Protagonistas - Com Adele Doula


O que são doulas 

Doulas são profissionais que, informalmente, sempre existiram. Elas acreditam no hábito ancestral de mulheres apoiarem outras mulheres psicologicamente durante a gravidez e o trabalho de parto. Seu papel é, principalmente, o de ajudar a mulher a ser protagonista do parto, ou seja, decidir sobre o tempo das coisas e o que deve ou não ser feito com seu corpo. A palavra “doula” vem do grego antigo e significa “mulher que serve”. Em 1973, um médico norte-americano usou a expressão para se re- ferir a mulheres que davam aconselhamento pós-parto. O termo foi ampliado até incluir o serviço de acompanhamento gestacional e do parto. No Brasil, se tornou ocupação oficial em julho de 2012. “A doula é uma mistura de psicóloga, fisioterapeuta e coach. Ela dá aconselhamento e apoio não-medicamentoso para facilitar o parto e inibir a dor”, explica Adèle Valarini, uma jovem doula que já acompanhou nove gestantes. “Qualquer mulher pode ser doula. Só precisa ter muita vontade, pois o trabalho mexe com você. É impossível acompanhar um parto e sair ilesa.

Para ler a matéria na íntegra (recomendo) acesse o link: 

Sobre Manhas, Birras e Outras Comunicações Infantis

Manha, birra ou comunicação?

Hoje resolvi falar com vocês sobre manhas e birras. Não é muito a minha área, afinal sou Doula e meu foco está mais na gestação, parto e primeiros meses da criança, mas recentemente ouvi uma nova Vovó dizendo que o choro da seu netinho recém-nascido que ainda estava na maternidade era pura manha, pois o menino havia acabado de mamar e ser trocado, e que era para deixar ele chorar sozinho no berço para acostumar a não chorar à toa. Isso me arrepiou na hora e senti portanto a necessidade de trazer um pouco do que eu andei estudando sobre os meios de comunicação dos bebês e crianças para vocês.
Espero que gostem!

Tabus do Parto: Os Maiores Medos Que as Gestantes Sentem (Mas Não Revelam) Agora Desvendados!


O parto é um fenômeno que gera muitas angústias, muitas dúvidas... e muitos medos! Alguns são conhecidos, como o medo da dor do parto ou o medo de acontecer alguma intercorrência na hora P e de não se conseguir o parto normal. Já outros são menos discutidos, menos comentados... Alguns são abordados apenas com o profissional de saúde, entre quatro paredes.

Mas afinal, quais são esses grandes tabus?

Entendendo Melhor a Partolândia e o Prazer no Parto


Um dos conceitos que as gestantes têm mais dificuldades em aceitar e que causa mais controvérsias no Grupo de Gestantes que organizo é o do parto como parte integrante da vida sexual do casal. Eu sempre digo, e repito: "parto é sexo!", mas às vezes é meio complicado para o casal entender exatamente qual é essa relação, já que o senso comum sempre apresenta o parto como um evento médico apenas. Como Doula, sempre procuro resgatar o aspecto fisiológico, natural e sexual do trabalho de parto, e busco sempre traçar paralelos com outras funções fisiológicas, para assim desmistificar o processo. Sim, parto é sexo! E pode ser muito prazeroso! A seguir, veremos mais em detalhes o porque.
Espero que gostem!

Criação com Apego é Coisa de Macaco?

"Não há coisa melhor no mundo do que esse cheirinho de bebê!"

Um post divertido sobre a criação com apego no mundo animal.
Espero que gostem!

Mas e Se o Bebê Nascer Antes de Chegar na Maternidade?

Às vezes, simplesmente não dá tempo de chegar na maternidade antes do bebê nascer! | Fonte

Como Doula, meu trabalho consiste em ajudar as mulheres a se prepararem para vivenciar um parto natural. Isso significa explicar-lhes o que é normal, o que elas podem esperar do processo, além de dar dicas que podem ajudar esse trabalho de parto a evoluir mais facilmente e buscar responder às maiores dúvidas dessas mulheres. Uma dessas dicas é: "fique em casa o máximo possível antes de ir para a maternidade." E essa dica sempre gera a mesma dúvida: "mas e se não der tempo de chegar na maternidade e o bebê nascer antes? O que eu faço?". Efetivamente, existem alguns casos (raros) em que o bebê nasce antes de chegar na maternidade. Às vezes, como é o caso da foto acima, ele nasce bem na porta da maternidade! A seguir, veremos algumas situações em que o bebê pode chegar "por acidente" e o que se deve fazer nessas situações.
Espero que gostem!

Relato da Gravidez e Parto de Nathalie Gingold, a Fotógrafa - Pela Doula (Virtual) Adèle

Família Gingold-Monkey: Nathalie, Fernando, Sophia e Aldebaran, e a parteira Luciana.

1) Como tudo começou...

Tudo começou no início da década de 90, em São Paulo. Eu era uma menina tímida e antissocial, e sofria na escola francesa, sempre com a maior dificuldade em fazer amigos. A Nathalie estava na mesma sala que eu. Durante pelo menos três anos estudamos na mesma sala, porém nunca fomos amigas. Em 1996, fui morar na França. Depois disso, só passava por São Paulo em breves visitas durante as férias, para ver a família, e perdi completamente de vista meus antigos colegas de classe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ATENÇÃO!

ATENÇÃO!